VOLTAR PARA O SITE
30/07/2020 - Circuito Projeto de Vida
OS SÁBIOS CONSELHOS DO PAPAI POP!!!

A primeira filha de Marcos Piangers nasceu em 2005. Com Anita e tudo o que a vida nova  trouxe, logo surgiu no jornalista catarinense o desejo de utilizar seu talento com as palavras para compartilhar suas experiências sobre a relação entre pais e filhos na internet. Em pouco tempo, milhões de pessoas passaram a acompanhar Piangers e a se emocionar com suas histórias. O sucesso foi tanto que em 2015 seus textos foram parar nas páginas de um livro: o best-seller O papai é pop (Editora Belas-Letras), que já teve mais de 250 mil cópias vendidas no Brasil e em diversos outros países. Hoje, além de ser o “papai pop” da Anita e da Aurora, Piangers ministra palestras sobre  tecnologia e criatividade, é autor do livro O poder do eu te amo e utiliza seus perfis nas redes sociais para falar sobre paternidade, amor, vida, carreira e muito mais. Aliás, foi sobre tudo isso que ele conversou com a equipe da +:). Acompanhe! 

+:) – Quando você começou a escrever sobre paternidade? 

MP – Comecei em 2005, quando minha primeira filha nasceu. No entanto, na época, eu guardava os textos para mim, em um processo quase que de autoterapia, escrevendo sobre as novidades, as descobertas, as situações que não se encaixavam exatamente no meu imaginário ou no coletivo.  Como eu não tive pai, essa ligação com as minhas filhas sempre foi muito importante para mim. Por isso, eu anotava tudo, todos os momentos emocionantes e engraçados, o que elas falavam e faziam, e registrava todas as minhas percepções e as cobranças sociais em textos que depois passei a compartilhar na internet. 

Qual foi sua maior motivação para publicar o livro O papai é pop? 

Eu recebi o convite para publicar o livro em 2014, ou seja, quase dez anos depois de começar a escrever. A minha maior motivação foi eternizar um momento da minha família que era muito especial para mim. Outra motivação foi a possibilidade de incentivar outros homens a serem pais melhores. Afinal, 20 milhões de mulheres são mães solteiras no Brasil (a minha mãe é uma delas), e a falta de pai é um grande problema social por aqui.

Neste sentido, aliás, os dados do Serviço Único de Saúde (SUS) são alarmantes: 5,5 milhões de crianças brasileiras não têm o nome do pai na certidão de nascimento e muitas outras têm pais ausentes! Desde o lançamento, o livro já vendeu mais de 250 mil cópias, foi publicado em Portugal, na Espanha e também em inglês (Dad is Cool). Além disso, vendemos os direitos autorais para a produção de um longa metragem e queremos desenvolver uma peça teatral sobre paternidade, o que me faz ter certeza de que estamos no caminho certo.

A que você atribui esse sucesso? 

Acredito que o assunto é importante, moderno e urgente. Países do mundo todo discutem a necessidade da participação masculina na parentalidade, já que há um crescimento constante da mulher no mercado de trabalho. Não tem lógica manter aquela masculinidade antiga de que o homem só paga as contas e não contribui para a criação dos filhos. Ele pode e deve ser participativo na vida familiar, nas relações educacionais, de saúde, afeto e carinho. 

Mesmo tendo crescido sem pai, você se transformou em um pai presente e participativo. Como conseguiu superar essa adversidade e escrever uma história diferente? Quando minha mãe me contou quem era o meu pai, eu percebi que minha história era muito comum. Eu decidi, então, não sofrer e também não ir atrás desse pai biológico, que contribuiu apenas com uma célula na minha construção. Eu aprendi a ser pai com a minha mãe, com a minha esposa e aprendo diariamente com as minhas filhas. Aprendi a ser um homem mais atento, paciente e sensível, e é isso que eu tenho que passar para outros homens, com os quais aprendo muito também. 

Que conselho você daria aos jovens e adolescentes que serão pais e mães no futuro? 

Existe um momento certo para ter filho. É quando se consegue ter uma tranquilidade, um planejamento com a pessoa que ama, uma construção familiar estável. Portanto, prepare-se para esse momento e quando chegar esse filho, decida participar, organizar sua vida para estar por perto. Acredite: você não vai se arrepender de ter ganhado menos dinheiro, você vai se arrepender se estiver longe do seu filho, se não puder ver ele crescer. Seja o melhor homem que você pode ser, seja a melhor mulher que você pode ser, participando da criação do seu filho. Você faz palestras sobre tecnologia, inovação e criatividade

O que os jovens e adolescentes devem esperar do futuro neste sentido? Como desenvolver as habilidades para ser um profissional de destaque no mercado de trabalho?

Os jovens podem esperar um futuro com muita tecnologia, mas também com muita importância na humanidade e de muita interação pessoal. De acordo com o Fórum Econômico Mundial, as principais habilidades do futuro serão as habilidades humanas – como criatividade, inovação, capacidade de trabalhar em grupo e de resolver problemas complexos –, e quem desenvolvê-las terá um grande diferencial. Quem exercitar empatia, conversa, networking, olho no olho, afeto, humor… enfim, coisas que a máquina não consegue fazer, sairá na frente. 

Para tudo isso a criatividade será muito importante. E sabe o que você precisa fazer para se tornar criativo? Estar rodeado de pessoas criativas! E não há ninguém mais criativo do que as crianças. É maravilhoso estar do lado de uma criança e ver florescer suas descobertas. Você destaca muito a questão de valorizar mais o tempo do que o dinheiro. Para você, quais são os verdadeiros tesouros da vida? As pessoas que mais nos ensinam sobre a valorização do tempo e do equilíbrio são aquelas que passaram por um momento de dor ou de limite na vida, que superaram uma doença ou perderam alguém que amavam.

Elas nos mostram que não é o dinheiro que importa na vida, não é a quantidade de bens que você tem e sim a quantidade de bem que você faz aos outros. Além disso, não é a quantidade de coisas materiais que você acumula que importa, mas sim a quantidade de coisas que não dá para contar. O quanto antes e sem dor você perceber isso, muito mais feliz você será! 

Quanta coisa boa Piangers compartilhou com a gente, não é mesmo? Agora que você já conhece essa história, aproveite o momento para assistir ao vídeo O poder do eu te amo (disponível em bit.ly/poder-eu-te-amo ) e debater sobre a reflexão proposta pelo “Papai Pop” com seus amigos. 

Voltar

É ser religioso de calça jeans e tênis.
Vamos onde os jovens estão.

SAIBA MAIS

Diante do contexto social, econômico, espiritual, emocional que estamos passando, a equipe de Animação Vocacional da Província Marista Brasil Centro-Sul, disponibiliza o projeto “Quero ser acompanhado” com o intuito de ser um espaço de escuta, acolhimento, orientação, acompanhamento e encaminhamento aos adolescentes e jovens.

 Se você sentir o desejo de dialogar com alguém que o escute; buscar orientação e acompanhamento para seu projeto de vida e vocacional acesse este serviço que está disponível por meio do nosso WhatsApp .